Reportagem

Entre os dias 27 e 30 de junho, regressou a Feira Nacional do Mirtilo

Com um orçamento que se aproxima dos 200 mil euros, a Câmara Municipal de Sever do Vouga, organizou a feira

Foto: José Vieira

Entre os dias 27 e 30 de junho, regressou ao Parque Urbano da Vila de Sever do Vouga a Feira Nacional do Mirtilo. Na 12.ª edição do certame estivera presentes cerca de 100 expositores e mais de 60 atividades para quem visitou a “Capital do Mirtilo” durante os quatro dias da iniciativa.

Com um orçamento que se aproxima dos 200 mil euros, a Câmara Municipal de Sever do Vouga, organizadora da feira, em parceria com a aGim-Associação para os pequenos frutos e inovação empresarial, defende que o evento é um forte contributo para o desenvolvimento sustentado do território. Durante a apresentação da feira à comunicação social, o presidente da Câmara, António Coutinho, falou sobre como a cultura do mirtilo alterou a paisagem do Município, defendendo que há margem para o crescimento da produção. “Se antes os campos de mirtilo “perdiam-se” entre os eucaliptais, agora o visitante que vem a Sever do Vouga já vê os campos. Temos assistido a uma transformação do nosso território devido ao mirtilo, que tem contribuído para o seu ordenamento”, afirmou o edil severense.

Com 180 produtores, muitos deles com uma produção à escala micro, Sever do Vouga é responsável por vender mais de 150 toneladas de mirtilo por ano, sem contabilizar o fruto vendido para a transformação. “É possível Sever do Vouga crescer na produção do mirtilo, bem como Portugal de um modo geral”, defendeu António Coutinho, explicando que “se ao nível externo, a saída do fruto é boa, internamente o mesmo ainda não se verifica”, sublinhando que “os pequenos frutos estão, gradualmente, a entrar nos hábitos de consumo dos portugueses”.

A feira proporcionou um conjunto de palestras técnicas, nas tardes de sexta e sábado de participação gratuita, que abordaram temas atuais e de interesse para quem pretendia vir a estar na fileira do mirtilo e dos pequenos frutos. Às palestras, somou-se a área técnica dos expositores, com produtos, serviços, comercializadores de fruto e viveiristas. A visita profissional foi complementada com visitas guiadas ao Campo Experimental de Pequenos Frutos e a plantações de mirtilos.

Entre os dias 27 e 30 de junho, regressou a Feira Nacional do Mirtilo

Mais Vistas

«Cima»