Sever do Vouga

Águeda, Albergaria-a-Velha e Sever do Vouga unidos em projeto cultural único e dinâmico

Projeto Cultural em Rede 3 TERRITÓRIOS, 1 RIO QUE NOS UNE

 “3 Territórios, 1 Rio que nos une” é um projeto interconcelhio de programação cultural em rede, ligando os Municípios de Águeda, Albergaria-a-Velha e Sever do Vouga, que irá decorrer a partir de julho deste ano e que, ao mesmo tempo que promove a cultura e o turismo, valoriza o rio, as coletividades e todo o património destes três territórios.

O projeto foi apresentado ontem, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Águeda, pelas Autarquias de Águeda, de Albergaria-a-Velha e de Sever do Vouga, representadas, respetiva-mente, por Edson Santos, António Loureiro e António Coutinho.

Esta ligação cultural em rede entre os três municípios tem a duração de 12 meses e implica um investimento de 297.900 euros, totalmente suportados por fundos comunitários, através do Fundos FEDER, no âmbito do Programa Operacional Regional do Centro.

Neste projeto privilegia-se a utilização dos espaços envolventes ao Rio Vouga e à Pateira de Fermentelos, tendo os três municípios lançado o repto às instituições locais para a produção de espetáculos. Para além dos Municípios, também as coletividades dos três Concelhos irão trabalhar em conjunto e dessa união artística resultará a criação de um Hino, intitulado “Nascer de um Rio” e que vai ser apresentado pelos grupos e bandas musicais dos três territórios.

Com a apresentação foi dado o pontapé-de-saída do projeto e, na oportunidade, Edson Santos, Vice-Presidente da Câmara de Águeda, salientou a dinâmica que caracteriza os três Municípios, acreditando que esta cultura em rede projeta os três territórios aos níveis regional, nacional e internacional. “Estão reunidas as condições para fazermos deste um projeto vencedor, que vai promover e divulgar a nossa cultura e gastronomia e espero que, no final, possamos ter as raízes criadas para continuar, crescer e fazer cada vez melhor”, declarou, evidenciando que a parceria institucional criada no âmbito deste projeto em concreto pode manter-se em edições futuras do evento.

Edson Santos realçou a importância de desenvolver parcerias em rede, frisando que este projeto que está a ser dinamizado, para além da vertente cultural e gastronómica, permite apoiar “as instituições e coletividades sediadas nestes Municípios e que têm passado muitas dificuldades no último ano”.

         …. 3 espetáculos musicais

          …. 3 espetáculos de luz, cor e magia & artes circenses

          …. 7 esculturas

          …. Festival e rota gastronómica

          …. Recriações históricas

          …. Atividades náuticas & birdwatching

António Loureiro, Presidente da Câmara de Albergaria-a-Velha, por seu lado, salientou a capacidade que os três Municípios têm tido em construir pontes, sendo este projeto um dos exemplos da ligação existente entre os três territórios, que definiu como “Municípios -irmãos”. Lembrou as pontes físicas que materialmente unem os Municípios, mas também a ecopista ou os percursos pedonais, destacando que a mais importante de todas as “pontes” é a vontade do homem.

“Este projeto é uma ponte muito interessante porque une três lados: os autarcas, colaboradores das autarquias e uma preocupação comum em potenciar e valorizar as nossas coletividades, as nossas associações e as nossas empresas no nosso território”, declarou.

Para o Edil albergariense, este projeto teve a preocupação de valorizar as coletividades, unindo verdadeiramente os territórios em torno da cultura, que “tem um papel preponderante nesta fase que todos estamos a passar, para aumentar a auto-estima da nossa comunida-de”, porque, argumentou, “temos de sair de casa, de viver novamente, de voltar, daqui a algum tempo, a respirar sem a máscara. Temos de voltar a partilhar espaços, com distanciamento e obedecendo sempre às indicações da DGS, mas necessitamos da cultura”, defendeu.

O Presidente da Câmara de Sever do Vouga, António Coutinho, também realçou a união e parceria entre os três Municípios, que aconteceu a vários níveis. “Temos grandes afinidades, para além da territorial e de limites, como sejam a cultural e algumas delas serão vincadamente desenvolvidas neste projeto”, declarou o Edil, salientando que o sucesso da candidatura vai ser a sua execução.

“Nestas ações de valorização da cultura, o essencial é que valorizemos não só as nossas tradições, mas também a dinâmica associativa”, disse António Coutinho, defendendo que “é nesta dinâmica que queremos que os nossos territórios avancem”.

-Espetáculo musical

Realizado por bandas filarmónicas locais, numa performance da qual faz parte a interpretação do Hino ao Vouga “Nascer de um Rio”, uma obra musical criada em conjunto.

Locais e datas: 3 Margens da Pateira | 31 julho e 01 agosto (Águeda)

                      Parque do Areal, Angeja | Dias 02 e 03 julho (Albergaria-a-Velha)

                      Parque Severi | Dia 17 julho (Sever do Vouga)

– Espetáculo de Luz, Cor e Magia & Artes Circenses “A LENDA DO RIO”:

Espetáculo performativo com coreografia baseada em artes circenses, com participação da comunidade /associações e que recuperará lendas e histórias do Rio Vouga.

Acompanhado por um espetáculo de pirotecnia com drones (através de animação com luz) e respetivas artes circences.

Locais e datas: 3 Margens da Pateira | De 31 julho a 01 agosto(Águeda)

                       Parque do Areal, Angeja | Dia 03 julho (Albergaria-a-Velha)

                       Parque Severi | Dia 17 julho (Sever do Vouga)

– Escultura Artística:

Criação de uma escultura alusiva a um elemento patrimonial com ligação ao Rio Vouga emcada concelho da REDE (sendo que as 3 esculturas a desenvolver serão igualmente objetode itinerância). Será privilegiado o desenvolvimento de uma peça que incorpore materiaissustentáveis e alusivos a práticas de economia circular.

Após o período de intercâmbio pelos restantes municípios da REDE, a escultura ficarápermanentemente instalada nos respetivos territórios.

Locais e datas: 3 margens da Pateira | Workshops com a comunidade no dia 07 junho e inauguração a 31 julho(Águeda)

                       Quinta, Palacete e Castelo Boavista | Workshops com a comunidade no em junho e inauguração a 3 julho (Albergaria-a-Velha)

                       Área envolvente à Ponte do Poço de S. Tiago – Inauguração 17 julho (Sever do Vouga) – Workshops com a comunidade escolar (4 e 7 de junho)

– Gastronomia em rede:

Festival e rota gastronómica a ocorrer em articulação com os demais municípios: na rota de novos paladares, paisagens e experiências. Potenciar os “frutos” do rio e da terra, num território com produtos endógenos tão únicos como as suas gentes (nos saberes e fazeres).Será ainda concretizado um plano de animação em alusão ao Vouga e aos produtos gastronómicos endógenos. A metodologia operacional consiste em convidar também os restaurantes típicos da REDE, para apresentarem o receituário gastronómico da região.

Locais e datas: 3 Margens da Pateira | De 31 julho a 01 agosto (Águeda)

                       Quinta, Palacete e Castelo da Boavista e Parque do Areal – Angeja |julho(Albergaria-a-Velha)

                       Parque Severi | 17 julho (Sever do Vouga)

                       Praia Fluvial Quinta do Barco | 7 de agosto (Sever do Vouga)

– Recriação histórica:

A atividade será dividida em dois momentos: um de expressão cultural que fará a ativação do projeto junto da comunidade local e promovendo-o na sede do concelho; o segundo será a recriação histórica com bateiras (embarcação fluvial, de características culturais e históricas associadas ao Rio Vouga) promovida por entidades locais.

Locais e datas: Parque Alta Vila e margens da Pateira de Fermentelos | agosto (Águeda)

                       Quinta, Palacete, Castelo Boavista e Parque do Areal | outubro (Albergaria-a-Velha)

                       Praia Fluvial Quinta do Barco | 7 de agosto (Sever do Vouga)

– Atividades náuticas & birdwatching:

Realização de visitas guiadas em bateiras, em descoberta da avifauna, reforçando localmente na REDE o potencial turístico da observação de aves (birdwatching). O Rio Vouga é um destino por excelência para esta actividade, já que possui um património natural com variadas espécies de aves. Além destas características únicas, o birdwatching pode ser realizado durante todo o ano, não estando sujeito ao efeito da sazonalidade. Refere-se ainda que muitas das aves que serão passíveis de observar são espécies protegidas que estão associadas ao sítio de proteção comunitária – ZPE Ria de Aveiro. Esta ação apresenta ainda uma componente pedagógica, permitindo facultar aos cidadãos em geral informação específica sobre as espécies objeto de intervenção, assim como alertar para a necessidade de proteger as mesmas.

Locais e datas: 3 Margens da Pateira | De agosto a outubro (Águeda)

                       Parque do Areal | Em agosto e setembro (Albergaria-a-Velha)

                        Rio Vouga e envolvente | 11 e 12 de setembro (Sever do Vouga)

– Criação do Hino “Nascer de um Rio”:

Esta obra musical resulta de uma encomenda por parte dos três Municípios para integrar o programa “Um Rio que nos Une”, em colaboração com os Municípios de Albergaria-a-Velha e de Sever do Vouga.

A obra, dividida em 3 partes, foi elaborada pelo Maestro Luís Cardoso (Águeda), pela ARMAB(Albergaria-a-Velha) e pelo Maestro Carlos Marques (Sever do Vouga).

Este Hino será interpretado no “Espetáculo Musical” pelos seguintes grupos e Bandas dos Municípios: Orquestra Filarmónica 12 de Abril (Águeda); Banda Nova de Fermentelos(Águeda); Banda Alvarense (Águeda); Banda Marcial de Fermentelos (Águeda);Associação de Instrução e Recreio Angejense (Albergaria-a-Velha); Banda Velha União Sanjoanense (Albergaria-a-Velha); Banda Recreativa União Pinheirense (Albergaria-a-Velha); Filarmónica Severense (Sever do Vouga) e Banda União Musical Pessegueirense(Sever do Vouga).

Todas as datas divulgadas podem sofrer alterações, tendo em conta a evolução da pandemia da COVID-

Todas as Categorias