Cultura Estarreja

Estarreja, a Cidade-Galeria 

O ESTAU está de regresso às ruas de ESTAU,. De 10 a 18 de setembro, a cidade-galeria recebe a 5.ª edição do festival, onde estarão em destaque as criações de arte urbana – com residências artísticas e pinturas ao vivo dos portugueses Pantónio, Bordalo II, Mariana Duarte Santos, Ruído, Daniela Guerreiro, Pitanga, do artista local Mário Afonso e do brasileiro Thiago Mazza. O evento cruza-se com outras ações: workshops, exposições, conversas, cinema, teatro, música, performances, animação de rua e visitas guiadas. O festival renova todos os propósitos para o qual foi desenhado, procurando envolver a comunidade local e provocar o diálogo e a reflexão.

O festival, organizado pelo Município de Estarreja, pinta-se de verde como forma de manifesto, alertando consciências. A sustentabilidade ambiental é o principal tema da edição deste ano, com muitas das telas a refletir o património natural e a biodiversidade do território, apelando à reflexão sobre o impacto das alterações climáticas nesta nossa riqueza natural. 

Intervenção pioneira: tanque industrial transforma-se numa tela de arte

Conforme explica a Vereadora da Cultura da Câmara Municipal, Isabel Simões Pinto, “vivemos momentos em que o impacto das alterações climáticas começa a ser demasiado evidente no mundo e a mudança é um desafio que só é possível superar se o fizermos em conjunto. Nesta edição do ESTAU, enquanto espaço artístico que pretende estimular a reflexão e pensamento crítico sobre tudo o que nos rodeia, queremos que o tema da sustentabilidade seja encarado como um desafio de todos e cada um de nós, enquanto cidadão, tem que assumir o compromisso da transição climática para uma sociedade mais neutra, para que possamos continuar a contemplar a biodiversidade riquíssima e outros recursos naturais que temos que preservar com urgência”.

A esta causa e compromisso junta-se a Bondalti, uma das empresas do complexo químico de Estarreja, permitindo uma pintura mural de grande dimensão, num tanque industrial. “É uma intervenção pioneira em Portugal e, através da arte pública, pretende-se uma aproximação da indústria química à comunidade, com uma mensagem de reforço do seu compromisso de atuação responsável e contributo para os objetivos do desenvolvimento sustentável”, explica a autarca.

Thiago Mazza, grande expoente do muralismo contemporâneo brasileiro e conhecido no cenário da arte urbana pelo seu domínio na representação da fauna e da flora, dará corpo a este projeto artístico. 

Bordalo II é outro dos nomes fortes desta edição e volta a Estarreja para criar mais um “Big Trash Animal”, da série de animais feitos de lixo que o artista tem espalhado por todo o mundo. O autor do Guarda-Rios (Parque Municipal do Antuã/2015), peça que precipitou e fez voar o ESTAU em 2016, vai dar vida a uma nova ave, a águia-sapeira, questionando uma vez mais a sociedade materialista sobre o consumo e produção excessivos, que resultam na contínua produção de “lixo” e, consequentemente, na destruição do nosso Planeta. Pela sua forte ligação a um ecossistema importantíssimo para a região, a Ria de Aveiro, é na Vila da Ria – Pardilhó que pode ver nascer esta peça de arte. Uma ação realizada no âmbito do projeto de programação cultural em rede “Descobrir e Experienciar novos territórios Estarreja/Aveiro/Covilhã”.

Outros trabalhos irão fortalecer a mensagem de sensibilização para a proteção do ambiente: a estética única do artista reconhecido nacional e internacionalmente, Pantónio; a pintura realista de Daniela Guerreiro; e o mundo imaginário de Pitanga, que trabalhará com um grupo de alunos da Escola Secundária de Estarreja na pintura dum muro junto à Estação de Caminhos de Ferro, no âmbito de uma parceria com a IP – Infraestruturas de Portugal. 

O ESTAU continua a pôr a arte urbana a falar com a cidade, com as pessoas, com a natureza e com o património. E por isso a identidade local é mote de inspiração para os artistas: Mariana Duarte Santos vai às origens do distintivo Carnaval de Estarreja; a dupla Ruído aposta numa composição em homenagem ao poeta Francisco Joaquim Bingre, o Cisne do Vouga, na primeira incursão do ESTAU à freguesia de Canelas; Mário Afonso recorre ao azulejo para contar a história da cidade, a partir de imagens do Arquivo Municipal.

A programação paralela apresenta os workshops “Estarreja Sensorial”, com Marta Pombeiro, e de “Colagem Criativa”, de Margarida Girão. Haverá cinco exposições para apreciar em diferentes espaços públicos que cruzam a ilustração, a fotografia, as tradições, entre outras linguagens artísticas. Destaque para a mostra de fotografia “Fábrica de Histórias” que fará reviver momentos da visita performativa ocorrida em junho de 2022, numa criação artística que contou com a participação da comunidade, e desvendará alguns espaços da futura Fábrica da História – Arroz em construção no Antigo Descasque.

Grande produção de teatro com “A Passarola”

No teatro, destaque para “A Passarola” (17 de setembro, Praça Francisco Barbosa), espetáculo de teatro comunitário do Trigo Limpo Teatro ACERT, a partir de uma adaptação livre do romance Memorial do Convento, de José Saramago. Ao grupo de artistas da ACERT, irá juntar-se um grupo de participantes da cidade para juntos tornarem real este espetáculo, que tem a Passarola como engenho cénico. Todos os interessados em tornarem-se atores e atrizes numa peça memorável devem fazer a sua inscrição, neste formulário www.bit.ly/ESTAU22_passarola.

Os concertos de Felipe Fontenelle (dia 10) e de Modulatos Project (dia 18), na Praça Francisco Barbosa, chegam pela mão da D’Orfeu, no âmbito do circuito de música ao vivo Outonalidades.  


O festival ESTAU acontece na cidade de Estarreja, distrito de Aveiro, de dois em dois anos, mas o seu “museu a céu aberto” reside nas ruas do concelho o ano inteiro.

A galeria de arte continuará a crescer nesta 5.ª edição do ESTAU e as visitas guiadas (dias 11, 17 e 18) são a melhor forma de descobrir as cerca de 40 obras assinadas por alguns dos melhores artistas urbanos internacionais: os portugueses VHILS, BORDALO II, SAMINA, ANDRÉ DA LOBA, AKACORLEONE, HALFSTUDIO, THE EMPTY BELLY ou os artistas estrangeiros ISAAC CORDAL (Espanha), BOSOLETTI (Argentina), FINTAN MAGEE (Austrália), BICICLETA SEM FREIO (Brasil), MARINA CAPDEVILA (Espanha), MILLO (Itália), ANA MARÍA (Porto Rico), MOHAMED L’GHACHAM (Marrocos) ou MANOLO MESA (Espanha).  

Para além das pinturas murais em execução, mais de 20 iniciativas integram a programação paralela e todas as atividades têm entrada livre. Consulte aqui a brochura com mais informações sobre os artistas que compõem o núcleo desta edição e o programa completo do ESTAU’22.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Send this to a friend