Águeda Live

Câmara de Águeda promove partilha de boas práticas para ajudar a repensar as cidades

Cidades 2030 foi o mote de um encontro que decorreu no âmbito da programação do Mês do Ambiente e juntou técnicos, especialistas e responsáveis nacionais da área ambiental, de neutralidade carbónica e de gestão de fundos comunitários

A Câmara Municipal de Águeda promoveu, na sexta-feira (27 de maio), o seminário “Cidades 2030: Inteligentes, Neutras e Verdes”, onde vários especialistas e responsáveis nacionais da área ambiental e de gestão de fundos comunitários, destacaram o contributo de Águeda na implementação de medidas que promovem a descarbonização das cidades e partilharam boas práticas para a construção de cidades ambientalmente sustentáveis e inteligentes.

“Vamos trocar um conjunto de experiências numa área onde procuramos ter um maior cuidado, implementando as melhores práticas, e onde, a exemplo de outras áreas, procuramos ser referência”, disse Jorge Almeida, Presidente da Câmara de Águeda, na sessão de abertura do encontro, salientando que esta partilha é enriquecedora para todos.

Alexandra Carvalho, diretora do Fundo Ambiental, salientou o caminho que Águeda está a fazer no contexto da neutralidade carbónica. “Vamos discutir aqui cidades que querem ser neutras em emissões carbónicas e Águeda está a fazer um excelente caminho”, apontou.

Uma das estratégias de atuação do Município de Águeda, no que se refere à adoção de boas práticas ambientais e com impactos no desenvolvimento sustentável, passa pelo envolvimento da comunidade, promovendo ações pedagógicas e de sensibilização, quer seja através Laboratório Vivo para a Descarbonização (LVpD) – Águeda [email protected] City Lab ou de iniciativas em contexto escolar e outras. “As preocupações ambientais e as alterações climáticas são temas que nos afetam a todos, pelo que, a par de todas as medidas e estratégias que promovemos diretamente, procuramos que as nossas crianças, jovens e cidadãos em geral tenham uma atitude mais consciente dos impactos que as nossas ações têm no meio ambiente”, frisou Edson Santos, Vice-Presidente da Câmara de Águeda.

O evento, organizado pelo Município de Águeda, foi considerado pelo presidente do Conselho Diretivo da Agência Portuguesa do Ambiente como “muito apropriado” para a troca de experiências e para a partilha de formas de financiamento de projetos de descarbonização nas cidades. “É incontornável que temos que olhar para as cidades como locais onde existe o conhecimento para podermos descarbonizar, em escala”, disse Nuno Lacasta, lembrando que ao mesmo tempo que a maior parte das pessoas viverão nas cidades, estas são vulneráveis, nomeadamente aos efeitos decorrentes das alterações climáticas.

Maria José Efigénio, da Direção-Geral do Território, salientou o trabalho desenvolvido pelo Município de Águeda no âmbito da sustentabilidade territorial e “a estratégia municipal de envolver a comunidade na adoção de medidas que promovam um futuro mais amigo do ambiente. A participação dos cidadãos é muito importante, a co-criação e co-desenvolvimento de projetos são assuntos muitos caros ao Ponto URBACT nacional”, disse, explicando que o URBACT é um programa de financiamento comunitário, que vai ter nova fase de apoios a partir de outubro, que promove o desenvolvimento urbano sustentável e visa contribuir para construir melhores cidades.

Ao longo do dia, foram abordadas várias temáticas relacionadas com o ambiente e com o desenvolvimento de cidades mais verdes e inteligentes. Destaque para um workshop sobre oportunidades de financiamento, onde foram apresentados diversos programas de financiamento nacionais e internacionais, como o Fundo Ambiental, Portugal 2030, Programa LIFE Portugal e Energy-Cities, tendo estes o objetivo da crescente valorização das cidades e territórios.

Refira-se que este seminário – que pode ser visionado no streaming na página do Facebook da Câmara Municipal de Águeda – integra a programação do Mês do Ambiente, uma iniciativa da Autarquia que está a decorrer até dia 30 de junho.

Por exemplo, no dia 10 de junho, a programação terá como temática o Rio Vouga, primeiro com uma descida pelo rio, da parte da manhã, e depois com a continuação do Ciclo de Tertúlias “Rio de Conversas”, que decorrerá na Junta de Freguesia de Macinhata do Vouga, a partir das 18 horas.

Está agendada ainda uma Feira do Mundo Rural, em Travassô, de 16 a 19 de junho; e um Roteiro “Escola na Cidade de Águeda”, de 27 a 30 de junho.

Ainda no âmbito deste seminário, da programação do mês do ambiente e, no fundo, das demais atividades desenvolvidas em matérias de sustentabilidade, Edson Santos salientou a “importância do trabalho que é promovido em parceria com as mais diversas entidades”, alinhado com aqueles que são os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável 2030.

O programa completo poderá ser consultado em www.cm-agueda.pt e para mais informações, pode usar o seguinte e-mail [email protected].

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Send this to a friend